De acordo com um estudo do OTRS Group, 61% das empresas brasileiras, estadunidenses e alemãs lidam com pelo menos um incidente de segurança por semana. Dessas, 18% classificam os riscos a que estão submetidas como “muito altos”.

Para lidar de maneira proativa com essas vulnerabilidades, alguns métodos foram desenvolvidos e são implementados nas rotinas de TI de empresas de todos os portes. Um deles é o teste de intrusão, sobre o qual vamos discorrer ao longo deste artigo.

Continue lendo para entender o que é um teste de intrusão, por que esse método é importante para a sua organização e como ele funciona!


O que é teste de intrusão?

Também conhecido como teste de penetração ou segurança, o teste de intrusão é realizado por especialistas que simulam ataques direcionados para detectar pontos fracos na segurança dos dados da empresa. Assim, é possível solidificar uma estratégia eficiente de defesa.

Na prática, profissionais da área de testes de intrusão procuram e tentam explorar os sistemas que foram contratados para testar. Ao fazer isso, se comportam muito como um hacker em um cenário do mundo real. O benefício, aqui, é que as pessoas que fazem esse tipo de trabalho legalmente, frequentemente, têm acesso a pesquisas e ferramentas mais confiáveis do que um hacker comum.

Isso significa que o conhecimento combinado de falhas e fraquezas das aplicações é muito maior do que o único hacker que está atacando um sistema. Isso permite que os(as) profissionais procurem uma grande variedade de possíveis fragilidades.

Qual é a importância de um teste de intrusão?

Os testes de intrusão permitem encontrar traços de insegurança e perigos até então ignorados pelo time de TI, garantindo uma melhor proteção dos ativos de informação. Entre os principais benefícios desse método preventivo, destacam-se:

  • garantia da segurança dos dados do(a) usuário(a);
  • localização de vulnerabilidades em aplicativos, sistemas ou em qualquer infraestrutura de rede corporativa;
  • detecção de aspectos da política de segurança que precisam ser melhorados;
  • geração de conhecimento para treinar desenvolvedores(as) para que eles(as) cometam menos erros em nível de código;
  • preparar treinamentos com base nas vulnerabilidades que envolvam todos os colaboradores, como e-mails com links maliciosos etc;
  • visualização dos impactos negativos de potenciais ataques;
  • implementação de uma estratégia de segurança fortalecida e eficaz;
  • prevenção de perdas de dados financeiros ou corporativos;
  • proteção da reputação da marca;
  • se preparar para o devido cumprimento da legislação — a Lei Geral de Proteção de Dados, por exemplo.

Em suma, o método do teste de intrusão faz parte da atitude proativa que torna as empresas mais preparadas para lidar com as ameaças.

Como funciona um teste de intrusão?

Ao longo do tempo, os testes de intrusão têm se sofisticado. Eles precisam evoluir para acompanhar a complexidade tecnológica que, por sua vez, também força a evolução dos ataques.

Em linhas gerais, o funcionamento de um teste de intrusão se dá nas etapas que listamos e detalhamos a seguir:

  • preparação e planejamento: contratação do serviço (ou preparação do time interno) e definição de objetivos para o teste;
  • verificação: coleta de informações sobre a estrutura (endereços IP, descrições de sistemas, arquitetura de rede, serviços públicos e privados etc.);
  • reconhecimento: reconhecimento dos ativos visados, visualização de possíveis pontos fracos, descobrindo ameaças de rede, servidor e/ou serviço e simulações de invasão;
  • análise de informação e riscos: aprofundamento nas vulnerabilidades encontradas;
  • tentativas efetivas de intrusão: a invasão em si, usando todas as brechas encontradas nas etapas anteriores, além de busca de dados confidenciais que, se roubados/danificados, podem prejudicar a empresa;
  • análises finais: fase pós-exploração, uma espécie de certificação dos resultados obtidos nas análises anteriores;
  • relatório: resumo geral da operação, detalhes de cada etapa, informações coletadas e resultados obtidos, bem como dados sobre os riscos encontrados e sugestões para aprimorar a segurança corporativa.

Como você viu, o teste de intrusão deve fazer parte da rotina das empresas conscientes do valor de seus dados. É importante acrescentar que a rotina de testes de intrusão deve ser gerenciada por profissionais certificados(as) e experientes, uma vez que se trata da utilização de métodos e ferramentas sofisticados, além de exigir capacidade bastante analítica.

O teste de intrusão já faz parte da estratégia de segurança de dados do seu negócio? Que tal conversar com um(a) especialista no assunto? Faça contato conosco e veja como podemos ajudar você!