A Lei Geral de Proteção de Dados, conhecida por sua sigla LGPD, foi sancionada em 2018 e em breve se tornará obrigatória para todas as empresas que atuam no Brasil. O seu negócio está preparado?

É necessário que o tema esteja em pauta em sua organização, portanto sugerimos uma consulta ao texto da lei e também trouxemos alguns pontos para reflexão. Confira! 

Comunique-se com todos os times

A Lei Geral de Proteção de Dados trouxe para o ambiente corporativo uma nova cultura de uso e armazenamento de dados. Portanto, no processo de alinhamento com essa legislação, a companhia precisa envolver os líderes de todas as áreas.

Trabalhe lado a lado com todas as partes da companhia que utilizam, direta ou indiretamente, todos os seus dados. Garanta que os profissionais compreendam as mudanças, como elas afetarão a sua rotina e o seu modo de realizar suas tarefas. Isso auxiliará as novas medidas a entrarem em vigor de forma efetiva e precisa.

Mude as suas políticas de segurança e privacidade

As políticas de segurança e privacidade devem ser alteradas para que estejam adaptadas ao novo cenário. A empresa precisará do consentimento explícito dos usuários caso queira manter a coleta das informações.

Além disso, é importante que a companhia tenha mecanismos para dar autonomia ao cliente e parceiro comercial sobre o uso das suas informações. Junto à possibilidade de o consumidor ter os dados modificados sempre que julgar necessário, a companhia também precisa estruturar mecanismos para a exclusão, a visualização e a portabilidade de todos os registros sempre que for solicitada.

Tenha um Data Protection Officer

O Data Protection Officer é o profissional responsável por verificar todas as mudanças feitas pelo negócio para se adaptar a LGPD. Ele pode ser um especialista fixo ou contratado com o apoio de uma companhia parceira.

O trabalho do DPO envolve todos os times. Ele verificará procedimentos de segurança, gestão de informações e monitoramento.

Se problemas forem encontrados, sugestões serão colocadas na mesa. Elas garantirão que a companhia terá meios para realizar um bom uso dos registros, evitando situações de risco ou que estejam fora dos padrões definidos pela Lei Geral de Proteção de Dados.

A segurança digital é uma preocupação que deve ser considerada por todas as empresas. Ter um negócio com processos de proteção e uso de dados transparentes permite que líderes empresariais atinjam mais pessoas com serviços e produtos confiáveis e alinhados com as demandas de seu público-alvo.

A Lei Geral de Proteção de Dados deve ser vista como uma forma de auxiliar o negócio a ter um processo de coleta, armazenamento e uso de informações transparente e apoiado na legislação brasileira.

Por isso, a empresa deve estar atenta à necessidade de se adaptar à LGPD e, com isso, evitar multas e problemas legais — lembrando que o prazo final para regularização é em agosto de 2020, então é essencial estruturar seu negócio antes que seja tarde demais.

A gestão de segurança da informação tem um trabalho contínuo para evitar situações de risco. Conheça, em nosso blog, quais são as brechas de segurança mais comuns que podem afetar a sua empresa!