Nos últimos anos, a indústria da computação em nuvem tem se voltado para os pequenos e médios negócios, verdadeiros beneficiados da crescente democratização tecnológica. Logo, cloud computing para pequenas e médias empresas se tornou um movimento crescente na indústria de TI global.

Vamos conversar sobre isso ao longo deste artigo. Continue lendo para entender de que forma a cloud computing para PMEs pode beneficiar a sua empresa, como implementá-la e muito mais.

Cresce a cloud computing para PMEs no Brasil e no mundo

Em 2017, a Paessler AG divulgou o estudo The State of Cloud Acceptance by SMBs, no qual descobriu que 62% dos gestores de empresas com menos de 500 funcionários nos Estados Unidos, Alemanha e Reino Unido afirmaram confiar na nuvem para ampliar seus negócios.

Na América Latina, de acordo com a consultoria IDC, os investimentos em ferramentas, infraestrutura e serviços baseados na nuvem devem movimentar 11 bilhões de dólares até 2021 — o Brasil é responsável por 45% de toda a tecnologia comercializada e utilizada na região (e as PMEs são o motor da economia brasileira).

Esses números representam uma movimentação que cresce e se manterá como tendência em nível global. Tanto que diversos especialistas afirmam que, dentro de pouco tempo, a cloud computing será o único sinônimo de computação existente.

A cloud computing para PMEs é uma realidade devido à facilitação de acesso a recursos que até pouco tempo eram privilégios dos grandes players do mercado. Hoje, negócios a partir de um usuário podem ampliar a competitividade tendo a TI como um serviço (pagando apenas pelo utilizado e sem a necessidade de manter uma infraestrutura própria).

A cloud computing pode representar uma porção muito pequena da TI da empresa (migrando apenas um sistema para a nuvem) ou pode ser usado para a TI inteira (colocando todos os sistemas na nuvem sem exceção).

A nuvem oferece flexibilidade grande em relação ao que pode ser migrado e tem capacidade de rodar quase todos os tipos de sistemas, com todas as tecnologias, das mais antigas (por exemplo, Cobol) às mais avançadas.

Com a nuvem, é até possível usar thin clients localmente, o que evita ter de investir em computadores de última geração, servidores e bancos de dados superpotentes. Toda a infra fica por conta do provedor de cloud computing. É ele quem se preocupa em manter os serviços sempre disponíveis e seguros.

Benefícios da cloud computing para PMEs

Há diversas vantagens que fazem com que a cloud computing para pequenas e médias empresas ganhe cada vez mais força no Brasil e no mundo:

Menos preocupações técnicas

Com o uso da nuvem, as PMEs tiram todo o gerenciamento da parte de infraestrutura de TI para os sistemas que estão na cloud, delegando-o a especialistas altamente qualificados. Isso permite economizar muito dinheiro e tempo, além delivrar os gestores de TI e de negócios de uma série de preocupações técnicas.

Alta disponibilidade

A nuvem também garante a disponibilidade dos sistemas, o que evita ociosidade em caso de parada dos sistemas que ficam hospedados internamente.

Escalabilidade sem investimentos recorrentes

Com a nuvem, a empresa também não precisa mais se preocupar em reinvestir para comprar novos servidores locais. Isso deixa de existir, são os fornecedores de nuvem que reinvestem.


Foco no essencial para o negócio

A nuvem permite que as PMEs foquem em sua atividade central, sem desperdiçar tempo e energia para manter a TI. Os recursos humanos e financeiros da empresa são usados de forma mais otimizada, proporcionando ganhos em produtividade.

Desenvolvimento com custos controlados

Além disso, existem muitas plataformas na nuvem que permitem desenvolver novas soluções de TI (softwares) de maneira mais rápida e a um custo menor. Isso faz com que a empresa tenha de forma mais rápida e econômica os novos sistemas e as novas tecnologias que vão dar diferencial competitivo a ela.

Experiência do cliente

A nuvem também facilita a conexão dos clientes aos sistemas da empresa, assim como as conexões externas dos funcionários à TI interna. Com isso, os processos são mais simples, mais ágeis e as informações fluem mais, o que é uma grande vantagem nos negócios.

Segurança da informação

Para finalizar, a nuvem garante nível de segurança digital geralmente bem superior à TI local, o que minimiza grandes riscos (vazamento ou perda de informações, espionagem etc.), assim como torna as transações de negócios mais confiáveis.

O que avaliar ao buscar cloud computing para PMEs

Na hora de avaliar como migrar para a cloud computing, as PMEs devem definir quais sistemas são de missão crítica, ou seja, quais precisam ficar sempre disponíveis e hospedados em um ambiente de TI muito seguro (por exemplo: faturamento, e-mail, servidor de arquivos etc.).

Em seguida, alguns passos são importantes para que a migração seja efetuada da melhor forma possível. Aqui estão eles:

– entrar em contato com as software houses para confirmar em quais sistemas operacionais os sistemas de missão crítica a migrar podem rodar, e se a software house poderá ajudar para fazer a reinstalação na nuvem;

– definir com o fornecedor de nuvem exatamente como deverá ser feita a conexão entre a empresa e a nuvem, com o uso de VPN (firewall, acesso fora da empresa etc.) e, principalmente, com a escolha de uma solução de conexão a distância de tipo Terminal Service;

– verificar que os servidores na nuvem serão hospedados no Brasil. Muitos sistemas ficam extremamente lentos com a latência das conexões com data centers fora do Brasil;

– confirmar qual é a repartição das responsabilidades na manutenção da TI, entre a empresa e o fornecedor de nuvem (quem faz o quê no dia a dia e quem é responsável pelo quê);

– verificar se o fornecedor de nuvem terá capacidade de diagnosticar potenciais problemas cuja causa raiz não é necessariamente apenas na nuvem, mas também fora da nuvem, na conexão ou no ambiente local de TI (por exemplo, problemas de link, de firewall local etc.);

– avaliar se a garantia contratual de disponibilidade da nuvem é compatível com as exigências do negócio;

– confirmar os horários, os níveis e o acordo de nível de serviço (SLA) de suporte técnico necessários e verificar que o suporte será em português e prestado no Brasil — é aconselhável ter um SLA de resolução de problemas, e não apenas de atendimento;

– definir os serviços adicionais a serem fornecidos junto das máquinas virtuais, como o backup dos servidores, o antivírus, o suporte técnico, a separação de rede (VLAN), a VPN, a solução de Terminal Service, a banda de internet no data center para o tráfego de dados etc.;

– avaliar a capacidade do fornecedor em oferecer e manter soluções complementares da nuvem, tais como segurança de TI, backup, firewall, bancos de dados, configurações de rede etc.

Sobre os custos de implementação e manutenção de uma infraestrutura de cloud computing para PMEs

Os custos de implantação dependem muito da complexidade técnica do projeto. Mesmo assim, são inferiores a um reinvestimento em novos servidores locais.

Com relação à manutenção da nuvem, os custos também são bastante menores do que normalmente é investido em uma infraestrutura local de TI.

Por fim, é de suma importância que a empresa escolha um parceiro altamente competente na parte de infraestrutura de TI para realizar a migração para a nuvem, assim como a gestão da nuvem.

Hoje, existe uma ilusão de que é simples ir para a nuvem simplesmente passando o cartão de crédito na AWS ou na Google Cloud e definindo os recursos dos servidores. Não é bem assim.

Todas as exigências de segurança, suporte, disponibilidade e conexão a distância devem ser avaliadas com um fornecedor especializado.

O que você achou das informações sobre cloud computing para PMEs que trouxemos neste artigo? Aproveite para acessar o white paper sobre o que pensar antes da migração de TI para a nuvem.