Quando o assunto é tomar ações que modificam o funcionamento interno de uma equipe, é normal que surjam algumas dúvidas. Por isso, mostraremos aqui tudo o que você precisa saber para otimizar os custos da sua infraestrutura de TI. Confira!

Em um mundo competitivo e onde lidamos com crises econômicas de tempos em tempos, desenvolver estratégias para reduzir os custos da empresa e otimizar sua produtividade passa a ser ainda mais importante.

A rotina de um gestor eficiente deve, obrigatoriamente, considerar essa questão. E empresas que não têm uma atividade central focada no desenvolvimento para estrutura de TI podem se beneficiar de medidas específicas nesse departamento.

A seguir, veja o que é possível fazer para otimizar os custos de infraestrutura de TI e potencializar resultados!


Ações para reduzir os custos na infraestrutura de TI

Em primeiro lugar, é preciso refletir com inteligência para criar e executar um plano de ações eficaz. Uma situação comum é que, às vezes, a empresa possui uma infraestrutura de TI que oferece muito mais do que ela realmente precisa.

Na sequência, veja que outras ações se recomenda realizar para mitigar custos de infra de TI.

Otimizar a escalabilidade

Identificar pontos de escalabilidade e trabalhar na sua otimização é uma forma interessante de começar.

Recursos físicos, como servidores, podem ser substituídos por um sistema de armazenamento na nuvem, por exemplo. Algo que, como mostraremos a seguir, oferece possibilidade de crescimento rápido, conforme a demanda. Isso porque não depende de um grande investimento na infraestrutura interna da empresa.

Com a adoção dessa tecnologia, a infraestrutura de TI é contratada como um serviço pay-per-use. E isso auxilia na otimização, controle e previsibilidade de custos e proporciona agilidade para ajustar os recursos às necessidades.

Adotar as ferramentas corretas

Para muitas empresas, o esforço de reduzir custos na infra de TI passa pela modernização de seus recursos. Seguir trabalhando com aplicações em linguagens antigas, que demandam muito tempo para atualizações e manutenção, por exemplo, não é um bom caminho. A boa notícia é que, com a cloud computing, é bem mais barato, rápido e fácil investir em recursos modernos.

Adotar a cloud computing

A computação em nuvem permite não só o armazenamento de dados como também a utilização de ferramentas e softwares diretamente da internet.

Essa medida elimina a necessidade de manter um parque tecnológico de servidores próprio. Nós sabemos, adquirir e gerir o arcabouço de TI é bastante oneroso e necessita de investimentos esporádicos em equipamentos, recursos que poderiam ser empregados na atividade central da empresa.

Vale lembrar que esses equipamentos depreciam com o tempo, têm alto consumo de energia para garantir um bom funcionamento e sua manutenção é bastante significativa. Todas essas são despesas que impactam significativamente o orçamento de um departamento de TI.

O cenário ideal é aquele no qual a empresa possui exatamente a capacidade estrutural que seu funcionamento exige. Entretanto, com uma infraestrutura interna, isso é quase impossível, já que é preciso ter uma margem para possíveis aumentos ou diminuições na demanda do negócio.

Esse problema também pode ser resolvido pela computação em nuvem. Uma empresa especializada oferece não só uma estrutura de TI sob medida, como também o suporte necessário para a manutenção do sistema.

A produtividade é rapidamente percebida com a adoção dessa solução devido à agilidade na resolução de problemas. Isso é possível pela quantidade de especialistas em infraestrutura que podem ser acionados na empresa contratada para prestar atendimento imediato.

Em suma, a computação em nuvem permite que os departamentos de TI possam focar nas estratégias do negócio. Conseguem eliminar ou reduzir plantões e até mesmo tirar férias ou folgar em feriados e fins de semana sem se preocupar com disponibilidade dos sistemas. Sem falar da substituição de equipamentos obsoletos, que deixam de ser de responsabilidade da empresa.

Abandonar o servidor local pela infraestrutura em nuvem?

Configurar um Active Directory

Todo processo de organização da infraestrutura de TI deve contar com um Active Directory bem configurado.

Em síntese, o Active Directory armazena dados como objetos. Um objeto é um único elemento, como um usuário, grupo, aplicativo ou dispositivo. Os objetos são normalmente definidos como recursos ou objetos de segurança.

Um serviço que exemplifica bem a importância do Active Directory é o Serviço de Domínio (AD DS), que armazena informações de diretório e lida com a interação do usuário com o domínio.

O AD DS verifica o acesso quando um usuário entra em um dispositivo ou tenta se conectar a um servidor por meio de uma rede. Ele controla quais usuários têm acesso a cada recurso. Por exemplo, um administrador normalmente tem um nível diferente de acesso aos dados que um usuário final.

Sendo assim, a configuração de um Active Directory é a melhor forma de garantir um uso também otimizado das configurações disponíveis na empresa. Ela aumenta a longevidade dos equipamentos, a segurança nos acessos e, consequentemente, beneficia a estrutura como um todo.

Consolidar servidores e otimizar links proxy

Um problema muito comum enfrentado por empresas em fase de crescimento é a utilização de servidores diferentes para finalidades distintas. Isso gera não só um problema para a manutenção causado pela disparidade entre as idades dos servidores, como aumenta o consumo de energia e a depreciação dos equipamentos.

O melhor caminho é replanejar a infraestrutura de forma que os servidores estejam consolidados — os servidores de muitas empresas geralmente executam de 15 a 20% de sua capacidade, o que pode não ser uma proporção sustentável no ambiente econômico atual.

Em síntese, a consolidação de servidores é uma abordagem para o uso eficiente de recursos de servidores de computadores. Seu objetivo é reduzir o número total de servidores ou locais de servidores exigidos por uma organização, o que, entre outras vantagens, diminui os gastos envolvidos.

Outro desafio: o crescimento desorganizado de empresas é um dos fatores que mais causam problemas na infraestrutura de TI. É aí que garantir a otimização de links proxy utilizados pela empresa se mostra como outra forma inteligente de diminuir os gastos. Como a utilização tende a crescer com a empresa, é bom que isso seja feito com planejamento para aumentar a qualidade e diminuir os gastos com os links.

Melhorar o controle da infraestrutura

Não há como falar em benefícios para a gestão de uma empresa, ou equipe, sem considerar o controle sobre os recursos. No processo descrito aqui, um dos resultados a serem destacados é o significativo aumento da previsibilidade de gastos e de investimentos necessários.

O esforço de ampliar os controles é importante, pois a manutenção de uma infraestrutura interna de TI é extremamente complicada. Diversos custos podem ser planejados e, ainda assim, um problema inesperado pode gerar gastos altíssimos, já que é um recurso que não pode falhar e ficar indisponível — a solução deve ser imediata e eficaz.

Planejar melhor os gastos

Estabelecer um contrato com uma empresa terceirizada que ajude a cuidar da infraestrutura de TI permite que a gestão passe a contar com um planejamento mais assertivo, sem a interferência dos imprevistos citados.

Com equipes de profissionais qualificados e servidores mais robustos fora das quatro paredes da empresa, é possível manter os gastos dentro do planejado e ainda ganhar em segurança e disponibilidade.

Um ponto essencial é a adequação do serviço à demanda real, o que faz com que o valor pago seja bem mais baixo.

Estudos e pesquisas mostram que sistemas em nuvem proporcionam uma economia de mais de 25% nos custos com TI. Não há como negar que isso reflete diretamente na parte financeira do negócio.


Criar e acompanhar métricas de desempenho

Pensando mais no nível de gestão, é fundamental que a TI tenha métricas de desempenho a perseguir e a acompanhar. Por definição, elas são figuras e dados representativos das ações, habilidades e qualidade geral do departamento tecnológico e dos serviços prestados por eles.

Alguns exemplos de métricas de desempenho em TI são: uptime (tempo de disponibilidade) das aplicações, resolução de chamados realizados pelos usuários, custos de recursos (métrica financeira) etc.

Ao definir e monitorar métricas, tanto o gestor quanto a equipe têm meios de dimensionar seus esforços, seja na qualidade do serviço prestado, seja na redução de custos.

Indicadores de desempenho em TI: confira os 7 principais

Capacitar melhor o time de TI e os usuários

Por fim, mas não menos importante, é interessante que tanto os profissionais do departamento de tecnologia quanto os usuários sejam educados. Isso perpassa também pela reciclagem dos profissionais, que precisam se atualizar em novas ferramentas, métodos e práticas.

Também abrange a sensibilização e o engajamento dos usuários finais. Por exemplo, sem conhecer os custos envolvidos em TI, eles vão seguir fazendo um grande volume de solicitações que, muitas vezes, são simples e poderiam ser autogeridas. E sem conhecimento, continuarão colocando a segurança da informação em risco, fazendo com que a TI precise continuar apagando incêndios — e gastando mais dinheiro.

A importância de contar com uma empresa especializada em serviços de nuvem

Para finalizar, uma dica imprescindível é: conte com um provedor de serviços de nuvem para ajudá-lo a otimizar os custos com infraestrutura de TI!

Conheça a CCM Tecnologia

É possível que você se questione quanto à diferença de qualidade de um data center próprio e o de uma empresa especializada. Se os seus servidores podem sofrer com algum problema, como garantir que aqueles que sustentam a nuvem não estão sujeitos à mesma sorte?

A resposta é mais simples do que parece. Empresas especializadas nesse serviço têm sua estrutura de custos voltada para uma infraestrutura com alto controle de seu funcionamento.

Elas garantem vários níveis de proteção contra ameaças físicas e virtuais, múltiplos servidores e storages de ponta, recursos efetivos de virtualização. Também contam com profissionais especializados e certificados nas mais diversas competências sobre todas essas camadas de tecnologia.

Além de tudo isso, empresas que prestam serviços de cloud computing devem possuir um rígido controle de backups para evitar perdas de informações. E contam com muito mais espaço disponível para realocar seus dados. Caso haja algum problema, basta que elas redirecionem seu servidor virtual.

Trata-se de uma estrutura profissional cujos custos são diluídos entre os clientes (na modalidade nuvem pública). Isso gera economia e, ao mesmo tempo, torna possível o acesso a um parque tecnológico de alta qualidade, antes restrito a grandes grupos empresariais.

A previsibilidade de seus recursos passa a ser um ponto a seu favor. É possível prever a necessidade de um aumento ou diminuição da capacidade de seus sistemas e solicitar essa modificação rapidamente. Elimine os gastos inesperados!

Como você viu, há muitas maneiras de otimizar os custos de infraestrutura de TI. A maioria deles passa primeiro por uma nova visão de gestão de tecnologia. Somente uma abordagem mais arrojada, menos centralizadora, pode incrementar os resultados e reduzir o montante de dinheiro despendido mensal e anualmente por sua empresa.

E o melhor de tudo: com custos otimizados e devidamente controlados, a TI poderá finalmente se tornar estratégica; deixar de se preocupar com os “incêndios” que tem que apagar diariamente e partir para uma atuação mais analítica e propositiva. Nós sabemos, as empresas mais inovadoras e competitivas têm em seus departamentos de TI um importante aliado.

Faça uma análise e veja como você pode se beneficiar dessas medidas. A infraestrutura de TI pode ser adaptada e gerar uma redução enorme nos gastos de sua empresa!

Quer seguir ampliando seus conhecimentos em táticas para otimizar custos de infraestrutura de TI? Então não perca nenhuma das nossas próximas publicações; siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no LinkedIn!