Os dados de uma empresa são ativos importantes que, muitas vezes, precisam contar com cópias de segurança. Para garantir que essas informações não sejam perdidas, devido a erros dos usuários, bugs nos sistemas, acidentes físicos que atingem os servidores (alagamentos, roubos etc) ou ataques criminosos — cada vez mais sofisticados e frequentes —, é necessário utilizar algum dos diversos tipos de backup.

A boa notícia é que a tecnologia para esse fim está cada vez mais evoluída — e é sobre isso que vamos conversar neste artigo. Continue a leitura, conheça os quatro tipos de backup disponíveis e veja qual deles melhor se encaixa na realidade da sua empresa!

Quais são os tipos de backup e as suas especificações?

A seguir, veja quais são os quatro tipos de backup mais utilizados e como eles se diferenciam entre si.

1. Backup completo

Nessa abordagem fundamental, é feita uma cópia de todos os dados em um conjunto específico. Por conta disso, é a opção mais demorada para ser realizada e ocupa um maior espaço de armazenamento.

Uma de suas vantagens é a facilidade de restaurar informações, enquanto outras opções de backup permitem a recriação apenas a partir de conjuntos de dados alterados.

2. Backup incremental

Os backups incrementais podem ser utilizados em conjunto com o completo, atualizando apenas os dados alterados desde a última cópia de segurança.

A vantagem desse método é que ele demora menos tempo e ocupa um espaço menor. Porém, para restaurar os dados, você deve reconstruí-los a partir do último backup completo, além de todos os incrementos intermediários.

3. Backup diferencial

A abordagem diferencial é realizada diariamente, fazendo uma cópia de todos os dados alterados desde o último backup completo. Para restaurá-los, é preciso acessar o último completo e o diferencial mais recente.

A vantagem desse método é que as restaurações são mais fáceis de serem realizadas. Porém, sua desvantagem está nos backups diferenciais diários, que tendem a ser de maior volume e mais demorados que os incrementais.

4. Backup completo sintético

Um backup sintético faz uma cópia de segurança completa e combina abordagens incrementais subsequentes, de forma a ficar sempre atualizado.

Essa opção tem a vantagem de ser facilmente restaurada e facilitar a largura de banda na rede, pois somente as alterações são transmitidas. Entretanto, pode haver uma sobrecarga de processamento no servidor de backup, além do incorrido por um incremento simples.

Quando cada um deles é indicado?

Agora que você já conhece os tipos de backup disponíveis, sabe escolher a melhor opção para a sua empresa? Para isso, é preciso considerar diversos fatores, como o orçamento disponível para o investimento e os objetivos estratégicos do seu negócio.

Em linhas gerais, as indicações são as seguintes:

  • Backup completo: indicado para empresas sem preocupações com o espaço de armazenamento;
  • Backup diferencial ou incremental: para empresas que precisam garantir apenas as cópias dos dados e arquivos alterados;
  • Backup sintético: indicado para grandes volumes de informações (como bancos de dados, por exemplo).

Como você viu, uma estratégia de backup é fundamental para a segurança da informação. Assim, as cópias de arquivos e dados em geral garantem disponibilidade, confiabilidade e integridade das informações corporativas, o que permite o avanço e a competitividade do negócio.

Entendeu as diferenças entre os quatro tipos de backup existentes? Então, compartilhe este post nas redes sociais e ajude os seus amigos a encontrarem a melhor opção para os negócios de cada um!