Os números sobre o Big Data na indústria automotiva não mentem: esse é um dos setores que mais inovam quando o assunto é organizar, processar, analisar e aplicar volumes exponenciais de dados.

Em nível global, de acordo com o Gartner, fornecedores de primeira linha, seguradoras, concessionárias e outros empreendimentos do ramo deverão movimentar 3,3 bilhões de dólares até o final de 2018 em ferramentas, serviços e recursos de Big Data. E mais: esses investimentos devem ser incrementados em 16% nos próximos três anos.

Por que a indústria de automóvel tem apostado no Big Data? Quais impactos as tecnologias e os métodos sob esse conceito trazem para o segmento? É o que responderemos ao longo deste artigo. Continue lendo para entender! 

O que é Big Data e qual sua relação com a indústria automotiva?

Um estudo estima que os serviços de carros conectados representarão cerca de 40 bilhões de dólares em receita anual até 2020. E essa é só uma das aplicações possíveis da combinação de equipamentos, softwares e serviços de tecnologias diversas com o Big Data na indústria automotiva.
Conforme já adiantamos, é grande a ligação desse setor com o Big Data — termo que descreve volumes gigantescos de dados estruturados, semi-estruturados e não estruturados, além de soluções, métodos e serviços usados para extrair informações úteis e melhorar decisões estratégicas. 

O mercado de automóveis parece estar fazendo a lição de casa direitinho. É frequentemente citado como um dos que mais investem em meios de análise e estruturação de dados captados das mais diversas fontes. Além, é claro, de desenvolver produtos mais aderentes às novas exigências do consumidor e, também, do mundo globalizado (sustentabilidade, responsabilidade social, etc.).

Quais são as aplicações de Big Data na indústria automobilística?

São inúmeras as formas de aplicar o conceito de Big Data na indústria automobilística. Algumas delas merecem destaque, conforme você verá a seguir.

Veículos conectados e transporte inteligente

A combinação de Internet das Coisas e Big Data tem proporcionado mais conexão aos automóveis fabricados pelas maiores montadoras do mundo. Isso não é futuro, já está acontecendo.
Carros conectados oferecem inúmeros benefícios para os motoristas. Primeiro, a capacidade de gerenciamento de mobilidade. Funções inovadoras mostram a rota ideal, as informações de tráfego e o consumo de combustível otimizado. Além disso, dão mais segurança e prevenção de colisões, manutenção preventiva e entretenimento.
Junto com os benefícios que os clientes experimentam, há todo um ecossistema de verticais que fornece insights dos veículos conectados, a partir de mineração de dados, entre outros tipos de análise (descritiva, prescritiva, preditiva, etc.).
Os fabricantes estão aproveitando as métricas de desempenho dos automóveis; os departamentos de serviços aproveitam estatísticas de manutenção e desgaste das peças; os fornecedores de infoentretenimento conseguem analisar padrões de uso dos motoristas; e assim por diante.

Veículos autônomos podem ser uma realidade popular em breve

A indústria automotiva também tem trabalhado para usar o Big Data e outras combinações tecnológicas para alcançar a popularização dos veículos autônomos. Isso também depende muito da receptividade do público consumidor. Uma pesquisa conduzida pelo Gartner, em 2017, apontou que 55% dos entrevistados (estadunidenses e alemães) disseram que não andariam em um carro totalmente autônomo.
A aposta do setor é que esse comportamento do consumidor seja superado em breve. O desafio, segundo as maiores montadoras consultadas pelo Gartner, é demonstrar as vantagens dos recursos de autonomia dos automóveis: redução das taxas de acidentes, cortes de custos de assistência médica, seguro e danos. 

Além disso, a opinião pública deve entender em breve que os carros autônomos tornarão as cidades mais inteligentes, pois têm capacidade para reduzir congestionamentos do tráfego e aumentar a eficiência do combustível, por exemplo.

Cadeia de suprimentos mais inteligente nas montadoras

Uma das aplicações mais importantes do Big Data é dissecar o valor e o fluxo de processos específicos em várias organizações. Na indústria automobilística, essa análise é aplicada ao gerenciamento da cadeia de suprimentos — lembre-se de que o modelo fordista está se aposentando; agora, é comum que as diversas partes de um veículo sejam produzidas em diferentes países.

As empresas precisam saber que partes estão obtendo, de onde, quanto custam, com que eficiência estão sendo fornecidas e como essas ações afetam sua lucratividade. O processamento de dados complexos, fornecido pelas soluções de Big Data, permite a compreensão dessas dimensões.

Insights automatizados para melhorar design e produção

Dados relacionados a experiências reais de condução em nichos específicos de clientes, preferências do usuário e análise de reparo para entender lacunas: mineração de dados e análises preditivas dentro do guarda-chuva do Big Data têm melhorado o desempenho geral das operações produtivas dos fabricantes de automóveis.
As informações coletadas estão sendo usadas para projetar automóveis que sejam seguros e personalizados para diferentes públicos. Simulações de fabricação, por exemplo, estão fornecendo uma ajuda com ciclos de melhoria repetidos. 
As observações inteligentes e automatizadas na linha de montagem podem ajudar a melhorar a força de trabalho e a competência operacional. Em suma, o Big Data é uma ótima ajuda que torna os processos de design e manufatura mais proativos e eficientes. 

Agilidade e precisão na comercialização de veículos

Com o Big Data, concessionárias, bancos e outras empresas especializadas em financiamento de veículos estudam dados relacionados ao histórico financeiro e às preferências de seus atuais e potenciais clientes.
Discutindo essa análise com dados demográficos e geográficos, as organizações já estão trabalhando para estruturar esquemas de financiamento ideais — mais adequados aos requisitos dos consumidores —, o que, segundo os estudiosos do assunto, levará a um aumento nos negócios e à redução da inadimplência. 

Como você viu, o estudo de dados por meio de ferramentas e métodos de Big Data está tornando a indústria de automóvel mais inteligente e eficiente. A boa notícia é que os impactos apresentados aqui não são possíveis apenas nos grandes players do setor.

Empreendimentos de médio e até pequeno porte podem estruturar estratégias para potencializar seus resultados dentro desse conceito. Só precisam buscar conhecimento e firmar parcerias com empresas especializadas e estar dispostos a inovar.

Você já havia pensado nos impactos do Big Data na indústria automotiva? Para ter acesso a conteúdos como este em primeira mão, assine agora a nossa newsletter!