Uma das maiores parcerias das últimas décadas é entre o setor de mercado automotivo e a tecnologia. Se há um tempo atrás os grandes salões do automóvel destacavam uma tecnologia que melhorava a performance dos veículos, com o advento do big data, internet das coisas e machine learning, o setor automobilístico mergulhou na transformação digital, da concepção do produto até a experiência do cliente.

Confira algumas das inovações tecnológicas mais esperadas para o mercado automotivo nos próximos anos.

Adoção de metodologias ágeis

As metodologias ágeis surgiram na indústria de TI com o objetivo de alinhar a gestão de projetos às novas oportunidades que a transformação digital nos oferece. Na metodologia de projetos tradicional, as etapas de produção são mais longas e sem entregas definidas. Isso pode ocasionar uma falta de alinhamento entre os times envolvidos e distanciamento entre o resultado e a expectativa inicial dos clientes.

No método tradicional, os projetos são desenvolvidos em bloco único. Tudo é definido no início: prazo, orçamento, estrutura e recursos. Em um projeto muito longo, em que há imprevistos, aumenta-se o risco de desalinhamento entre o resultado esperado pelo cliente e a entrega.

O desenvolvimento de métodos inteligentes simplifica a execução dos projetos, que deixam de ser estruturados de forma completa, desde o início, sendo substituído por ciclos de desenvolvimento mais curtos. Ou seja, o projeto é alinhado durante o processo de acordo com as mudanças produtivas e de expectativa dos clientes.

Dessa forma, fica mais fácil identificar falhas já na raiz, além de receber feedbacks desde a primeira entrega, ganhando mais flexibilidade e adaptabilidade, e entregando um resultado bem mais próximo das expectativas.

Utilização de peças inteligentes

Falamos na introdução sobre a Internet das Coisas, que nada mais é do que objetos que se conectam entre si e com a web. Com os carros controlados por computadores, desde os comandos básicos até as funções do motor, transmissão, chassis e freios, as peças que compõem esses sistemas são compostas de sensores que conseguem captar em tempo real dados sobre o desempenho dos conjuntos do veículo.

Assim, os computadores de bordo, dotados de inteligência artificial, conseguem atuar de forma preventiva, identificando possíveis falhas antes que elas se transformem em paradas. Há também a possibilidade de os veículos se comunicarem com os servidores da montadora, dando feedbacks em tempo real sobre o desempenho do veículo, possibilitando melhoria contínua baseada em uso real e gerando um histórico para as futuras revisões periódicas.

Investimento em segurança de dados

Se aumenta a quantidade de dados produzidos e a conexão do carro com servidores externos, aumenta também a preocupação com possíveis ataques e invasões aos sistemas dos carros. Em relação aos veículos, a preocupação com segurança é múltipla. Além de um possível roubo de dados, há a possibilidade de invasão do sistema, o que pode causar falhas mecânicas no carro.

Estamos prestes a entrar em uma era de carros autônomos, que serão guiados por inteligência artificial, sensores e informações externas. Assim, uma invasão pode desregular a orientação do carro, havendo, inclusive, a possibilidade de causar acidentes graves.

Criação de veículos empáticos

O auge do atendimento das expectativas dos clientes acontecerá quando a tecnologia dos carros empáticos estiver 100% implementada. Isso significa que os veículos se adaptarão aos seus passageiros, monitorando os seus hábitos durante as viagens, além de captarem dados sobre postura, fadigas e outras informações de saúde. Até mesmo os batimentos cardíacos e a respiração poderão ser monitorados.

Esse conjunto de dados pode ser utilizado para diversas atividades, desde processos médicos até aferição de estatísticas, deixando as montadoras prontas para corresponderem às expectativas dos consumidores.

A união entre tecnologia e mercado automotivo está apenas no início de suas possibilidades, pois, com a velocidade em que novas tecnologias surgem a cada dia, poderemos ter mais surpresas nos próximos anos. O certo é que estamos entrando em uma época em que os donos dos carros poderão optar por serem motoristas ou se tornarem passageiros cada vez mais bem tratados em seus veículos.

Gostou deste post? Quer conhecer as bases da união entre TI e mercado automotivo? Então, entenda como a nuvem vai mudar o futuro do setor automobilístico!