Você já ouviu falar em virtualização de servidores? E na computação na nuvem? Nos últimos anos, essas duas tecnologias ganharam o mercado de TI, afinal, elas prometem mais agilidade, mobilidade e flexibilidade para empresas.

Custos também são reduzidos, algo crucial em um cenário de crise econômica. Além disso, com uma gestão de TI mais simples e prática, a empresa pode melhorar a administração dos seus recursos e ser mais competitiva.

Mas essas tecnologias são iguais? Acompanhe este post e confira a resposta!

O que é a virtualização de servidores?

A virtualização de servidores é uma prática na qual um software cria várias máquinas virtuais para aproveitar melhor os recursos disponíveis. Nesse processo, são criadas instâncias — com processador, memória, espaço de armazenamento e interfaces de rede — que são definidas conforme as demandas do usuário.

Todas são controladas por um hypervisor, que garante a melhor distribuição de recursos possível para todos. Assim sendo, na virtualização de servidores, uma única máquina física consegue gerenciar o recurso de várias máquinas virtuais separadamente, impedindo conflitos de software ou de acesso a recursos.

O que é a computação na nuvem?

A computação na nuvem pode ser vista como uma tecnologia derivada dos servidores virtuais. Porém, os serviços de cloud computing têm um escopo maior quando comparamos com os servidores virtuais.

No geral, os servidores de cloud computing utilizam máquinas virtuais para disponibilizar o acesso a recursos computacionais para os(as) usuários(as). Contudo, nesse caso, a diferença está no modo como eles são distribuídos.

Na nuvem, o(a) usuário(a) pode contratar apenas o espaço de armazenamento, o direito de uso de um software corporativo ou mesmo um conjunto de servidores virtuais configurados conforme sua demanda. Assim, ele(a) terá acesso a diferentes recursos computacionais pagando de acordo com suas necessidades.

Ao utilizar o cloud computing, o(a) usuário(a) faz uso de uma forma de virtualização, porém nem sempre tão complexa quanto o acesso direto a um servidor virtual.

Quais são as vantagens desses dois tipos de serviços?

A computação na nuvem e o uso de servidores virtuais traz benefícios semelhantes para a companhia. Em conjunto, esses impactos podem tornar o negócio mais competitivo, aderente a prazos e econômico. Entre as vantagens, podemos destacar:

• redução de custos operacionais;
• aumento de escalabilidade;
• ganho de mobilidade e de produtividade;
• maior nível de automação corporativa;
• possibilidade de evitar erros;
• queda nos indicadores de indisponibilidade de aplicação;
• possibilidade de ter mais foco no atendimento a demandas dos usuários;
• aumento da segurança de dados com os recursos mais isolados;
• acesso fácil a recursos computacionais modernos. 

Hoje em dia, investir em novas tecnologias é algo fundamental para qualquer empresa. Empreendimentos que ignoram as últimas tendências em TI podem correr riscos graves, uma vez que seus serviços ficarão atrás de grandes concorrentes e terão um maior custo. 

Por isso, sempre esteja atento sobre como novidades como a computação na nuvem e os servidores virtuais podem beneficiar seu empreendimento. Em conjunto, essas soluções têm um grande potencial para revolucionar o modo como os(as) profissionais atuam, reduzindo custos e garantindo o melhor posicionamento possível para a empresa.

Gostou deste post e quer saber mais sobre o papel da TI no ambiente corporativo? Visite nosso site agora mesmo e conheça as soluções que temos para oferecer!