O gerenciamento e as operações do serviço em nuvem se referem a todas as atividades que uma organização realiza para planejar, projetar, entregar, operar e controlar os serviços de TI em um servidor online. Essa gestão é uma parte significativa da cloud computing, apresentando vários desafios que podem impedir (ou alimentar) seu sucesso, dependendo de como você os enfrenta.

Ela exige amplo conhecimento e monitoramento cuidadoso para evitar armadilhas e gerar resultados desejáveis. Uma nuvem bem gerenciada pode ajudar você a atingir o nível mais alto de maturidade da solução, reduzir riscos e, significativamente, os custos.

Este artigo traz um guia com 6 práticas recomendadas de gerenciamento de serviços em nuvem que são cruciais para permitir seu sucesso. Confira!

1. Crie uma estratégia e um conjunto de metas antecipadamente

Algumas empresas estão adotando a estratégia de nuvem sem uma articulação de longo prazo e sem considerar como ela se relaciona com seus negócios em geral. Como em qualquer projeto, estabeleça metas e prioridades realistas, um orçamento e prazos claros.

Cada tipo de negócio pode estar em um momento de adoção de nuvem. Enquanto uma loja de roupas do bairro pode apenas estar considerando levar seus dados para nuvem a do lado pode estar com seus backups todos automatizados, enquanto outra pode usar um sistema SaaS e e-commerce. Por isso cada estágio deve considerar metas diferentes.

Início: TCO, Custo de manutenção da Nuvem, %ganho operacional, número de vulnerabilidades de segurança identificadas
Migração: Economia em infraestrutura, número de incidentes por aplicação/infra/pessoas, tempo de reparo e tempo entre as falhas, tempo de deploy de infraestrutura
Otimização: % de policies em compliance, tempo economizado como resultado de policies definidas, % disponibilidade de serviço contratado

Também, um entendimento compartilhado de quais recursos estão disponíveis para implementação e manutenção. Embora a computação em nuvem prometa ROI (retorno sobre o investimento) significativo, manter a complexidade e o custo ao mínimo requer planejamento e estratégia. 

2. Mapeie toda a sua rede e identifique onde a nuvem se encaixa nela

Obtenha uma imagem clara do papel da nuvem em sua estratégia geral de gerenciamento de sistemas para evitar ter que preencher lacunas nas necessidades de dados de gerentes de negócios e outros clientes. Diferentes linhas serão mais bem atendidas por diferentes provedores de nuvem.

Internet

  • Qual o provedor do seu link Internet
  • Tecnologia utilizada (MPLS, Frame Relay)
  • Número de circuito, telefone de suporte, SLA
  • Lista dos domínios que sua empresa registrou e qual a data de expiração
  • Servidores DNS e registros DNS existentes (A, Mx, etc)

Documentação dos servidores

  • Nome do servidor, IP, Finalidade, SO instalado
  • Informações de hardware do servidor (processador, memória, disco, partições)
  • Serviços instalados
  • Documentação da instalação

Topologia de rede

  • Diagrama da topologia lógica
  • Diagrama de Vlans
  • Diagramas da topologia física
  • Estrutura da árvore LDAP (ou Active Directory, ser for o caso)
  • Topologia do Storage
  • Layout do datacenter e dos racks

Ativos de rede

  • Roteadores (nome, IP, marca, modelo, localização)
  • Switches (nome, IP, marca, modelo, localização)
  • Firewalls (nome, IP, marca, modelo, localização)
  • Centrais telefônicas

Tenha em mente que muitas vezes você não terá tudo isso em sua infra. Mesmo assim mapeie o máximo que conseguir.


3. Identifique os aplicativos em sua organização que são mais adequados para a implementação nativa da nuvem

Os aplicativos tradicionais são monolíticos, executam como VMs, usam uma arquitetura de expansão e, geralmente, são mais difíceis de desenvolver, implantar e manter. Por outro lado, os aplicativos nativos da nuvem são mais modulares e orientados a serviços, compostos por coleções de contêineres e serviços, baseados em uma arquitetura de expansão horizontal e fáceis de automatizar, mover e dimensionar.

Mas não é porquê você não tem uma aplicação nativa de nuvem que não possa migrar seus servidores. Sistemas monolíticos só precisam de uma preparação e atenção especiais. Pode ser que precisem de alguma aplicação complementar para fazer a virtualização e controle de acesso à aplicação. Nesses casos as ferramentas mais usadas são: RDS Microsoft, Go-Global, Citrix, TSPlus

4. Treine seus funcionários

A transição para a nuvem é apenas o começo, porque muitos fatores estão envolvidos. Um dos mais importantes é o nível de conhecimento de seus funcionários. A migração para a nuvem exige diferentes conjuntos de tecnologias e práticas.

As empresas tentam tirar o melhor proveito dela por meio de infraestrutura, código, DevOps, segurança e conformidade automatizadas, enfatizando a necessidade de diferentes mentalidades. Portanto, é vital que você adote uma abordagem proativa e contínua para treinar seus funcionários.

5. Use a automação para simplificar o gerenciamento de serviços em nuvem

O gerenciamento da nuvem pode ser simplificado se você usar a automação inteligente de processos para criar, implantar e monitorar seus recursos e aplicativos online. Adote os princípios e práticas do DevOps para automatizar o gerenciamento de seus ambientes em nuvem.


Image: https://redmonk.com/jgovernor/2017/06/14/the-race-to-own-the-pipeline-atlassian-aint-playin-introducing-devops-marketplace/

A automação de todas as tarefas repetitivas e demoradas de gerenciamento em nuvem ajudará você a fornecer serviços rapidamente. Ela também reduzirá os erros de gerenciamento da nuvem, ajudando você a melhorar a confiabilidade, a alta disponibilidade e a eficiência. 

Automatize seu processo de gerenciamento de nuvem e permita que seus recursos de TI trabalhem no que agrega valor ao seu negócio principal, economizando tempo e dinheiro.

Por exemplo, provisionamento de Infraestrutura como código, automatizando a criação de máquinas virtuais ou instâncias, com o Ansible para automatizar as instalação de aplicações nestas instâncias. Enfim, como pode ver na imagem acima, ferramentas não faltam.

6. Trabalhe com fornecedores que respondem rápida e positivamente ao inesperado

Sempre haverá situações imprevistas quando você estiver montando vários serviços em nuvem. Seus parceiros devem informar regularmente o estado de seus sistemas, aprimoramentos e novos recursos.

A CCM Tecnologia, por exemplo, preocupa-se em alinhar a computação em nuvem, o gerenciamento de serviços e a introdução de boas práticas de gerenciamento. Adota, assim, as práticas recomendadas para administração eficaz de todos os elementos associados à entrega de serviços em nuvem, às ferramentas de gerenciamento e ao monitoramento de serviços.

Precisa de ajuda para gerenciar seus serviços em nuvem? Entre em contato conosco e saiba como podemos auxiliar!

Leia também: